Últimas Notícias


Servindo Voluntariamente Cabo Verde e a Humanidade


Os nossos patrícios na Holanda, através da “Ami é Cabo Verde” vão tudo fazer para minimizar o sofrimento dos mais desprotegidos em Cabo Verde, que para além de enfrentarem o temor da COVID-19, têm de tolerar a incerteza de levar a panela ao lume e garantir o sustento da família, diariamente.

 

A Cruz Vermelha de Cabo Verde continua a sua nobre e gratificante missão de reforçar e alargar o seu auxílio não só aos mais necessitados, mas também, a uma franja considerável da população cabo-verdiana que em consequência de medidas redutoras e de confinamento imposta pelas autoridades sanitárias e atestadas pelo governo agravou-lhes a sua situação de garantia diário do sustento de suas famílias.

 

Para o efeito esta instituição filantrópica tem diversificado e ampliado suas ações, criando novas parcerias em diversas frentes para poder chegar a cada recôndito de Cabo Verde. Neste momento, está-se a efetivar o protocolo de cooperação assinado a 28 de abril do ano em curso com a associação “Ami é Cabo Verde”, sediada em Roterdão, Holanda. Trata-se um grupo de emigrantes crioulos, que sensibilizados com a situação complexa que o mundo atravessa e Cabo Verde em particular, sentiram-se na obrigação de fazer algo pelo torrão que os viu nascer, logo lançaram uma campanha de angariação de meios financeiros para ajudar os mais necessitados destas ilhas afortunadas. De imediato, apercebeu-se que a Cruz Vermelha de Cabo Verde seria uma parceira ideal para a materialização dos objetivos proposto, estabeleceram os contactos preliminares acertaram as posições, para depois assinarem um protocolo que estatuía as atribuições das partes.

É de realçar que a primeira parcela desta operação conjunta “Ami é Cabo Verde” e a Cruz Vermelha de Cabo Verde, no valor de 551.325$00 foi depositada desde a semana passada, na conta da instituição, que, à semelhança do que aconteceu com os fundos angariados pelo projeto “Driblado a COVID-19” procedeu-se as transferências dos montantes determinados, para as contas bancárias das casas comerciais identificadas pelos presidentes dos Conselhos Locais das ilhas contempladas.

 

Inclusive, o Concelho Local do Porto Novo, um dos contemplados nesta fase, já fez o levantamento dos géneros, estando na confeção das cestas básicas, que segundo consta, devem ser distribuídas até meados da semana que se inicia.

 
Deve-se destacar que o método utilizado para priorizar os Concelhos Locais do Porto Novo, Tarrafal de São Nicolau, Ilha da Brava e São Filipe que cobre ainda a edilidade de 
Santa Catarina do Fogo foram algumas especificidades dessas edilidades como a pobreza, aliados à seca dos últimos três anos e a perda dos meios de sobrevivência de muitas famílias, causada pela pandemia. O valor distribuídos a esses Conselhos Locais variam entre os 120.000$00 a 155.000$00. Os Conselhos Locais das ilhas de Santiago, Maio, São Vicente, Sal e Boa Vista ficaram para a próxima fase.

 

Segundo informações da Associação “Ami é Cabo Verde”, a campanha continua a todo o gás e já têm na sua posse vídeos enviados pela Cruz Vermelha de Cabo Verde onde os presidentes dos Conselhos locais abrangidos, confirmam e agradecem os donativos recebidos e afiançam que serão bem repartidos.

 

Para os promotores, a campanha tem sido bem acolhido e está prestes a atingir o valor de 20 mil euros, o dobro da quantia inicialmente prevista. Ainda, neste âmbito estão programados uma noite musical on-line, para o próximo dia 06 de Junho.

Introduza as suas credenciais