A Cruz Vermelha de Cabo Verde, nesta nova fase de combate à COVID-19 resolveu alargar a sua luta auxiliando as instituições públicas e privadas, segmentos da
população mais desprotegido, como comerciantes informais, barbeiros, engraxadores, entre outros com materiais de proteção individual e de higienização, que é uma das formas eficientes, para além do distanciamento social para evitar o
contagio e debelar a disseminação deste inimigo invisível.

A Cruz Vermelha de Cabo Verde tem estado em todas as frentes no combate à COVID19. Tem participado de forma ativa em todos os 22 concelhos deste país, com realce para as municipalidades da Praia e de Santa Cruz, como a ilha do Sal onde a situação é mais crítica, sem contudo, descorar os restantes concelhos, que em termos de contágio está mais ou menos normalizado.
Os voluntários têm demonstrado desde o primeiro momento predispostos e disponíveis para atuarem em qualquer frente, como se diz na gíria popular, “pau para toda a obra” ou seja prontos para trabalharem onde se mostrar mais necessário, e
essa máxima tem sido respeitado e cumprido religiosamente. Têm trabalhado na sensibilização, na confeção e distribuição de cestas básicas, no apoio às estruturas de saúde, na distribuição de medicamentos aos doentes de foro psiquiátrico e ambulatório, na doação de sangue, em auxilio de foro psicológico à população afetada, em garantir refeições quentes aos idosos, enfim, fazendo tudo o que for essencial para manter as pessoas em casa, a fim de estancar a epidemia e debelar as necessidades primárias dos mais necessitados.
Agora, com o apoio recebido dos seus parceiros internacionais, esta instituição filantrópica de Cabo Verde entende que chegou a hora de alargar o seu auxilio,
partilhando o pouco que tem com as instituições públicas e privadas, segmentos da população mais desprotegidas, comerciantes informais, barbearias, engraxadores,
entre outros distribuindo materiais de proteção individual e de higienização a fim de melhor os preparar para enfrentarem este inimigo invisível.
Esta nova etapa de combate ao coronavírus pela Cruz Vermelha de Cabo Verde, principiou hoje com a entrega de 2 mil mascaras faciais, 300 luvas de latex, 5 litros de gel sanitário, 5 litros de desinfetante multifunções DMU -100 e 2 litros de álcool 70% à Procuradoria da República da Comarca da Praia.

O ato de entrega deste donativo ocorreu, hoje, 15 de junho do ano em curso, na sede da instituição no plateau e foi presidido pelo Presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde, Dr. Arlindo Soares de Carvalho e contou com as presenças do Dr. Felismino Cardoso, Procurador da República Coordenador e da Sra. Ester Pinheiro secretária da PRC, em representação da instituição forense e dos Drs. Salomão Furtado e Avelino Carvalho, Secretário-geral e Vice-presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde respetivamente.
Aquando da entrega, Arlindo de Carvalho destacou a importância dos itens ofertados no enfrentamento ao coronavírus para de seguida considerar que o objetivo desta
entrega é contribuir para que os profissionais da justiça exerçam o seu ofício com maior seguridade e menor pressão, visto ser uma profissão que por inerência, os expõe com mais facilidade ao contágio deste vírus. Continuando disse que espera que este gesto seja o primeiro de outros mais. Por sua vez, Dr. Felismino Cardoso agradeceu o apoio e considerou-o de uma utilidade incomensurável para a instituição que coordena e que o mesmo será utilizado da melhor forma possível, dando maior seguridade aos seus funcionários.
“Nesse momento crítico para o País, a Cruz Vermelha de Cabo Verde segue atenta às necessidades da sociedade, em linha com seu propósito de melhorar a qualidade de vida e contribuir para um futuro mais saudável. Esta instituição humanitária está globalmente mobilizada no processo de doação de materiais de proteção e de higienização como garantir o apoio às instituições sanitárias, Proteção Civil, FICASE e a sociedade civil na confeção e distribuição de alimentos aos mais necessitados. Com responsabilidade vamos prosseguir atuando para minimizar os impactos sociais decorrentes deste período crítico por que passa o mundo”, afirma Arlindo Soares de Carvalho, Presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde.

Introduza as suas credenciais