Últimas Notícias


Servindo Voluntariamente Cabo Verde e a Humanidade

Em parceria com o Programa Nacional de Nutrição (PNN), o Departamento de Saúde, Educação, Cuidado e Socorrismo da Cruz Vermelha de Cabo Verde vem realizando atividades promocionais no domínio da nutrição e da luta contra carência em micronutrientes nas crianças menores de cinco anos, direcionadas aos monitores de infância dos Jardins infantis desta instituição humanitária. 

 

Essas ações têm como propósito reforçar as capacidades técnicas das monitoras do pré-escolar em saúde e educação, de forma a agregar os aspetos chaves de nutrição, hábitos alimentares e modos de vida saudável. 

 

Na passada terça-feira, 20 de abril 2021, no âmbito desta parceria o Departamento de Saúde, Educação, Cuidado e Socorrismo esteve no Jardim infantil de Tarrafal onde abordaram os temas sobre a importância do uso de VITA FERRO nos alimentos das crianças menores de cinco anos e a saúde bucal. De acordo com o programa, nos dias 30 de abril e 4 de maio será a vez dos Jardins infantis de Assomada e Pedra Badejo respetivamente, serem beneficiadas com essas ações.

 

Deve-se destacar a importância desses procedimentos que visam não só reforçar as capacidades técnicas das monitoras do pré-escolar, mas também de permitir que as crianças que frequentam os jardins infantis desta instituição filantrópica, que são filhas de famílias carenciadas possam ter uma dieta alimentar mais rica em nutrientes que são fundamentais e necessários aos seus desenvolvimentos. 

 

As crianças em idade pré-escolar de zero aos cinco anos são as mais afetadas, pela anemia por deficiência de ferro.  E a reconhecida relevância desta moléstia em termos de saúde pública, não resulta apenas da magnitude de sua ocorrência, mas, principalmente, dos efeitos deletérios que ocasiona a saúde da criança, tais como repercussões negativas no desenvolvimento psicomotor e cognitivo, diminuição na capacidade de aprendizagem e comprometimento da imunidade celular com menor resistência às infeções. Esses efeitos podem persistir mesmo após suplementação com ferro

Evidências recentes mostram-nos que as crianças dessa faixa etária, residentes em países em desenvolvimento, como Cabo Verde, não atingem seu potencial de desenvolvimento por deficiência de ferro.

Por isso, de acordo com prescrição médica a necessidade do ferro para crianças recém-nascidas até aos seis meses é de 0,27mg/dia, dos sete aos doze meses 11mg/dia e do primeiro ao terceiro ano de vida 7mg/dia.

Porém é importante ter em conta que para os nutrientes disponíveis como vitaminas e minerais, para as duas faixas menores de um ano, portanto de zero a seis e de sete aos doze meses são os únicos que estão recomendados para ingestão diária (Recommended Dietary Allowance - RDA) no período de sete a doze meses são o ferro e o zinco. Os outros nutrientes que são referenciados de consumo adequado (Adequate Intake - AI) e que é recomendado, por serem nutrientes baseadas com aporte de leite materno por este ser fonte relevante de todos os micronutrientes com exceção do ferro e zinco, dos quais, a partir dos seis meses, são considerados boas fontes na alimentação complementar.

Introduza as suas credenciais