Últimas Notícias


Servindo Voluntariamente Cabo Verde e a Humanidade

Apelo de Emergência da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e da Cruz Vermelha Moçambicana (emitido a 19.03.2019)

Moçambique: extensão total da emergência humanitária ainda emergente

Apelo para a angariação de cerca de 8.8 milhões de euros para apoiar 75 mil das pessoas mais afectadas no centro de Moçambique. Estima-se que cerca de 400.000 pessoas tenham ficado desalojadas.

Com relatos de que pelo menos 400.000 pessoas ficaram desalojadas no centro de Moçambique, a maior rede humanitária do mundo alerta sobre a extensão total da "catástrofe humanitária" causada pelo Ciclone Tropical Idai que pode levar dias para se tornar clara.

Jamie LeSueur, que lidera os esforços de resposta para a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC) na Beira, afirmou: “Esta é a pior crise humanitária na história recente de Moçambique. É uma catástrofe humanitária para o povo do centro de Moçambique. Grandes partes da Beira foram danificadas, aldeias inteiras e cidades foram completamente inundadas. Equipas de resgate estão a lutar para colocar em segurança as pessoas presas nos telhados e nas árvores. Muitas, muitas famílias perderam tudo ”, disse LeSueur.

Grandes áreas a oeste da Beira foram severamente inundadas. Em algumas áreas perto dos rios Buzi e Pungoé, a água da inundação é de metros de profundidade e cobriu completamente casas, postes telefónicos e árvores.
Jamie LeSueur disse: "A escala de sofrimento e perda ainda não está clara, e esperamos que o número de pessoas afetadas e o número de pessoas que perderam suas vidas possam aumentar."

A FICV e a Cruz Vermelha de Moçambique lançaram hoje (19 de Março) um apelo de emergência de 10 milhões de francos suíços para apoiar cerca de 75.000 das pessoas mais afectadas no centro de Moçambique. O apelo prioriza o abrigo e a água e o saneamento.

As equipas da Cruz Vermelha na Beira estão hoje (19 de Março) a distribuir material de abrigo às famílias afectadas na Beira. Suprimentos adicionais para pelo menos 3.000 famílias estão a ser trazidos de navio da Plataforma de Intervenção Regional do Oceano Índico da Cruz Vermelha Francesa (PIROI em francês) na Ilha da Reunião. Voluntários da Cruz Vermelha na Beira também estão a distribuir cloro para que as pessoas possam purificar a água.

Os trabalhadores humanitários estão preocupados com os riscos para a saúde após o ciclone, disse LeSueur: “As doenças transmitidas pela água podem aumentar no rescaldo de um desastre como este devido à contaminação do suprimento de água e à interrupção do tratamento usual da água. Surtos de gastroenterite viral, hepatite, cólera e outras doenças podem ocorrer como resultado.”

A malária é endémica em Moçambique, com um pico durante a estação chuvosa de Dezembro a Abril. A inundação extensa pode resultar em água estagnada que pode se tornar um perfeito local de reprodução de mosquitos.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) também está presente na área afetada. O CICV accionou o seu serviço de Restabelecimento dos Laços Familiares para ajudar as famílias separadas pelo ciclone a reencontram-se ou registarem as suas como desaparecidas. Também implantou um especialista forense para ajudar a administrar os mortos de forma digna e doou combustível ao Hospital Central da Beira para garantir que a instalação de saúde crítica na província continuasse a ter energia.

FONTE: https://www.cruzvermelha.pt/

Temos o prazer de compartilhar consigo a campanha do Dia Mundial da Cruz Vermelha e do Dia do Crescente Vermelho, 8 de Maio, deste ano. Este ano, celebra-se a força e o alcance de nossa rede global e a contribuição de nossa equipe e 11,7 milhões de voluntários ativos através do tema #AMOR.

Para aproveitar o poder da emoção sentida em relação ao nosso Movimento, estamos usando um simples chamado à ação: O que você mais ama na Cruz Vermelha e no Crescente Vermelho?

Voluntários e funcionários podem fazer parte do vídeo oficial da Cruz Vermelha e do Dia do Crescente Vermelho compartilhando sua imagem ou vídeo para mostrar seu amor pelo Movimento. Mais de 30 Sociedades Nacionais já compartilharam conteúdo conosco, então não perca!

Compartilhe sua imagem ou vídeo via o grupo no Facebook https://www.facebook.com/groups/VolunteersIFRC/permalink/1525051474306025/ 

Equipes de catastofres da Cruz Vermelha em Moçambique, nas províncias da Zambézia e Sofala, estão preparando planos de resposta em antecipação à chegada do ciclone Idai no final da semana.

A Drª Fatoumata Nafo-Traoré, Diretora Regional para a África da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC), disse:

“Este perigoso e poderoso ciclone pode representar um risco extremo para dezenas de milhares de pessoas em Moçambique. Nossas equipes estão em alerta máximo em antecipação de uma aterrissagem potencialmente destrutiva.

“Encorajamos as pessoas em Moçambique a permanecerem alertas, a seguir as previsões meteorológicas e a responder imediatamente a quaisquer mensagens de aviso que sejam retransmitidas pelas autoridades” .

Segundo meteorologistas, a intensidade de Idai é igual à de um furacão do Atlântico da categoria 3. No entanto, no seu pico de intensidade, pode atingir o equivalente a um furacão de Categoria 4 ou mesmo a um furacão de categoria 5.

Dependendo de sua intensidade e trajetória, o Ciclone Idai também poderia exacerbar a situação no sul do Malauí, onde mais de 115.000 pessoas foram afetadas por inundações severas. No Malawi, as equipes de busca e salvamento da Cruz Vermelha transportam as pessoas presas pela água crescente para a segurança, além de distribuir itens básicos de socorro em seis dos distritos mais afetados.

Moçambique é regularmente atingido por ciclones. Em fevereiro de 2007, o ciclone Favio danificou ou destruiu 130.000 casas e desalojou dezenas de milhares de pessoas. Em 2000, o ciclone Eline atingiu um centro de Moçambique já afectado pelas cheias, deixando cerca de 463.000 pessoas sem abrigo. Juntas, as inundações e o ciclone mataram cerca de 700 pessoas.

O Presidente da Cruz Vermelha, acompanhado de sua delegação, está em missão em Portugal, nos dias 11 a 16 de Março, no quadro de assinatura de Protocolo de Cooperação com a Santa Casa da Misericórdia, com vista ao desenvolvimento de projectos comuns nas áreas da Ação Social, da Saúde, da Modernização Administrativa e do Desenvolvimento dos Jogos Sociais.

Neste contexto, as Partes Signatárias trabalharão todos os esforços para potenciar oportunidades de cooperação entre si, nomeadamente no que se refere à promoção da partilha de conhecimento e troca de boas práticas.

Na área acção social, a CVCV e a SCML identificam domínios de colaboração à população idosa através de prestação de serviço e desenvolvimento de actividades. Na Infância e Juventude pretende-se o acesso a recursos adequados às crianças e as famílias vulneráveis, combate a exclusão social, inserção sociocomunitária, beneficiação de infraestruturas de acolhimento, equipamentos adequados a categoria, etc. Enquanto que na área de Catástrofe e Emergência, a alimentação, medicamentos, kits de uso doméstico e familiar, vestuário, calçados, cobertores, etc.

  

Introduza as suas credenciais