Últimas Notícias


Servindo Voluntariamente Cabo Verde e a Humanidade

Na tarde de quinta-feira, 28, a Cruz Vermelha de Cabo Verde realizou, no Conselho Local da Ilha do Maio, o ato de descerramento de Placa de atribuição de nome Adalberto Santos Doko de Luzia, ex-vice presidente do CL daquela ilha.

Adalberto Santos, falecido há 1 ano, foi destacado como vice-presidente do Conselho Local do Maio por muitos anos, tendo dedicando-se a vários projectos sociais, nomeadamente do Jardim Infantil do CL, desde 2004.

Segundo o Presidente do Conselho Local do Maio, Odílio Neves, juntamente com o Adalberto Santos, enquanto Vice-presidente, assumiram a instituição, em 2004, com o intuito de manter voluntários e angariar mais pessoas. “Hoje orgulhamos em dizer que dos 20 e poucos voluntários na altura passamos a ter cerca de 200 voluntários locais espalhados por quase todos os povoados da ilha”, afirma.

A segunda prioridade era construir um edifício adequado para acolher as actividades da Cruz Vermelha na ilha, com o Adalberto sempre na linha da frente a transformar a instituição numa instituição de referência e credibilidade, sem esquecer do apoio das sucessivas direcções locais e dos voluntários.

Odílio Neves aproveitou a oportunidade para anunciar também que a morte de Adalberto Santos abalou-o pessoalmente, pois “viviam para Cruz Vermelha”, e que hoje não se consegue ver como presidente da Cruz Vermelha do Maio, sem o ex- colega de trabalho. Consequentemente, o cargo de Presidente de Conselho Local do Maio será liderado pela Vandira Barbosa, que segundo Odílio Neves “dará um novo rumo ao conselho local e de certeza saberá honrar o nome do eterno amigo Adalberto”.

Odílio Neves agradeceu o Presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde, Dr. Arlindo Carvalho, por ter aceitado a iniciativa de homenagear Adalberto Santos para o futuro da memória colectiva.

NOTICIA 1  NOTICIA2

O Presidente da Cruz Vermelha, Dr. Arlindo Carvalho, acompanhado de sua delegação, esteve em missão na ilha do Maio, entre 25 de Fevereiro a 1 de Março, para um conjunto de atividades, nomeadamente visita à Camara Municipal da ilha, visita à Fundação Biodiversidade, reunião de trabalho com colaboradores e a Comissão de Gestão do Conselho Local do Maio.

O objetivo desta missão foi também para realização de um encontro com os voluntários e ato de descerramento de Placa de atribuição de nome Adalberto Santos, ex-vice presidente do CL daquela ilha. Adalberto Santos,falecido há 1 ano, foi destacado como vice-presidente do Conselho Local do Maio por muitos anos, tendo dedicando-se a vários projectos sociais, nomeadamente do Jardim Infantil do CL.

received 559666471208812  received 1169408096551416

As comunidades que vivem ao longo das fronteiras porosas entre o Uganda e a República Democrática do Congo (RDC) permanecem em alto risco de propagação do Ébola. Milhares de pessoas cruzam todos os dias a fronteira para vender e comprar mercadorias e visitar familiares e amigos.

Com o epicentro do maior surto de Ébola na República Democrática do Congo localizado apenas a 100 Kms da fronteira com o Uganda, é crucial tentar conter e impedir que o vírus alastre.

A Cruz Vermelha de Uganda, com o apoio da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) tem vindo a ampliar a sua resposta ajudando a preparar as comunidades locais e tentando evitar a propagação do vírus.

Os Voluntários encontram-se em áreas de alto risco, sensibilizando as comunidades sobre o Ébola – fornecendo informações sobre o vírus, o que podem fazer para se protegerem e triando os milhares de indivíduos que cruzam a fronteira diariamente.

 Fonte: IFRC

A câmara do Porto Novo (ilha de Santo Antão) concedeu, no dia 29 de Janeiro, à Cruz Vermelha de Cabo Verde (CVCV), uma área de 16 hecteres de terreno para a construção de uma base de logística de dimensão internacional, que se enquadra na estratégia de intervenção da CVCV nas ilhas de Santo Antão, S. Vicente e S. Nicolau, em situações de emergência e calamidades.

De igual modo, a CVCV apoiou a CMPN na viabilização e funcionamento do lar da terceira idade da Cidade do Porto Novo com um montante de 2.000.000.00 (dois milhões de escudos de cabo verde).

Segundo o Presidente da Cruz Vermelha, Arlindo Carvalho, no quadro deste processo de parceria, a Cruz Vermelha de Cabo Verde que tem como propósito servir a população desta ilha em áreas de suma importância mas também de uma certa inquietude como a terceira idade, catástrofes e emergência, meio ambiente e resiliência das populações, infância e juventude, direitos humanos e Direito Internacional Humanitário, primeiros socorros, saúde e educação, entre outros.

A construção da base logística da CVCV, prevista já para este ano, conta com o apoio da Federação Internacional da Cruz Vermelha.

Introduza as suas credenciais