Últimas Notícias


Servindo Voluntariamente Cabo Verde e a Humanidade

Resumo do triénio

São tantos os projetos desenvolvidos ao longo do triénio que torna-se difícil destacar um ou outro. Entretanto, este é um exercício que se faz necessário para dar a conhecer alguns dos ganhos conseguidos, a começar pela nossa atuação na sequência da erupção vulcânica e que o leitor pode se inteirar mais no artigo relacionado e já publicado nesta página oficial da CVCV. Algumas outras marcas destes últimos quase quatro anos, já que aqui se inclui, praticamente, todo o ano de 2017, são os progressos feitos ao nível das ações da Sociedade Nacional junto aos vários Conselhos Locais (CL), reforçando a coesão entre a família da CVCV, assim como a dinâmica imprimida pelos própios CL, assim como o reforço da nossa rede de parceiros.

Estes estavam certamente entre os objetivos traçados pelo Conselho Superior que ora finda o seu mandato e terão sido certamente apostas ganhas. Desde logo a administração propôs o reforço e alargamento das parcerias nacionais e internacionais e o engajamento e respostas aos apelos da CVCV e consequentes angariações em resposta à erupção vulcânica são disso exemplos.

Igualmente, este Conselho participou de forma regular nos vários encontros e assembleias gerais dos vários órgãos do Movimento Internacional da Cruz Vermelha, seja no âmbito regional ou global, como atestam as nossas participações em eventos como a IXª Assembleia geral da ACROFA em Libreville – Gabão, ou a 32ª Conferencia Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente vermelho em Genéve (Genebra) (Ver: Cruz Vermelha reforça compromisso e cooperações internacionais)

Uma outra prioridade importante foram também a efetivação de visitas a outros Conselhos Nacionais, nomeadamente à Cruz Vermelha de Portugal em Lisboa ou da Itália em Roma, ou a Espanha, com os quais ainda pudemos reforçar e/ou iniciar para as várias formações no âmbito das nossas parcerias. Um exemplo é a colaboração, com um técnico especializado, da Cruz Vermelha de Espanha na elaboração do nosso plano de atividade 2017/2017 (Ver Cruz Vermelha reforça compromisso e cooperações internacionais

As formações e qualificação do nosso pessoal voluntario e/ou do Conselho Superior e Executivo foram também uma das grandes deste triénio, destacando-se, entre outras, a nível internacional o, sejam no exterior, caso de Atelier de Planificação de Programa /Projeto e Relatório de Apoio e Atelier Programme/Projet, Suivi & Évaluation, Reporting, ou a nível nacional a Formação em Gestão de Catástrofes e Emergência pouco antes da erupção vulcânica e que revelou-se importante na nossa ação durante essa crise, ou ainda as várias formações desenvolvidas nas ilhas, tanto por iniciativa do Conselho Nacional quanto dos próprios Conselhos Locais (Ver: Atividades desenvolvidas nos Conselhos Locais e Atividades Desenvolvidas pelos Conselhos Locais) para além de muitas outras ações em vários domínios durante todo o triénio.

 

Ver ainda Parte I – Relatório de atividades do triénio e fique a par de todas as ações levadas a cabo ao fim destes últimos quase quatro anos.

Banner XI assembleia CVCV

O Conselho Superior da Cruz Vermelha de Cabo Verde reúne-se entre 20 e 21 de novembro na cidade da Praia para a XI Assembleia Geral que tem como principais pontos a eleição dos membros do Conselho Superior para o novo triénio 2017-2019, tendo ainda na agenda a revisão dos estatutos deste Conselho Nacional, com vista a uma melhor adequação às recomendações daFederação Internacional da Cruz Vermelha e aos novos tempos.

A Assembleia geral que se realiza sob o Lema «A Caminho de 2020: Fazer Mais, Ir mais Longe», terá ainda como propósito discutir o relatório de contas e atividades da cruz vermelha no período 2014-2016 que iremos divulgar nas próximas horas, adentro a nossa política de uma gestão de boa governança e no sentido de dar a conhecer as muitas ações desenvolvidas ao longo do triénio ora findo.

A propósito, destaca-se entre as muitas ações feitas, a melhoria dos processos de gestão das contas, como atesta a avaliação positiva dada pelo CICR (Comité Internacional da Cruz Vermelha) e que atribui à Cruz Vermelha de Cabo Verde (CVCV) a avaliação máxima (3 numa escala de 0 a 3) no que tange a este quesito, tendo em consideração o constatado pelas missões de avaliação da mesma, nomeadamente a instituição - pelo Conselho Superior, liderado pelo ainda Presidente da CVCV, Mário Moreira, e que ora termina o seu ciclo administração que ora cessa as suas funções - das auditorias independentes regulares às contas da gestão, entre outras medidas.

De frisar também a nossa acção junto à população de Chã das Caldeiras em resposta à trágica erupção de 2014 e que constituiu, certamente, o maior desafio deste triénio, e quiçá, de toda a história da Cruz Vermelha. Junta-se a isso o naufrágio do navio Vicente, quiçá o mais trágico acidente marítimo na história moderna do país, o que ceifou pelo menos 15 vidas, para além da seca e que testaram ao limite as capacidades da CVCV, este terá sido o triénio mais desafiante de todos da história desta nossa jovem Sociedade Nacional.

As ações em torno da Protecção da Infância, da Terceira Idade e das camadas mais vulneráveis da sociedade em geral, continuam a estar entre as grandes prioridades da CVCV, como se poderá perceber ao longo das exposições do relatório trienal 2014-2016 e, incluindo o ano de 2017, ainda sob a gestão do actual Conselho Superior.

Seja como for, a CVCV, com o concurso de todos os seus quadros efectivos e voluntários, mostrou o seu valor e de que está preparado para os desafios futuros.

Um dos destaques da XI Assembleia Geral da Cruz Vermelha de Cabo Verde (CVCV) será o lançamento do novo site da instituição, adentro as recomendações do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICR) e da preocupação do atual Conselho Superior em melhorar a nossa comunicação institucional e que é um aspeto importante de eficácia e de reforço da Instituição no sentido de que a melhor comunicação favorece e multiplica o impacto positivo das ações realizadas.

Isso, para além de constituir um instrumento eficaz de prestação de contas na linha da gestão de boa governança (Accountability -responsabilidade e responsabilização na gestão).

Assim, lançamos o desafio a um grupo de parceiros para a materialização desse projeto que vem corresponder às nossas expetativas com um design e organização mais clean, moderno e funcional do que a página anterior que, convenhamos, já não dava vazão às necessidades e não era consentânea com esta visão de modernização da nossa Sociedade Nacional.

Entre os vários serviços que pretendemos oferecer, os seguidores da nossa nova página poderão constatar as notícias das várias ações desenvolvidas no futuro, tanto do ponto de vista da CVCV, através da nossa área de comunicação, como também na perspectiva dos órgãos de comunicação social nacional e internacional na janela Sala de Imprensa (sub-link A Cruz Vermelha na Imprensa).

Nesta mesma janela pretende-se alimentar a comunicação social com materiais e informações úteis para a cobertura dos eventos e ações da Cruz Vermelha. Ainda no site poder-se-á encontrar informações úteis aos voluntários e a quem pretenda entrar para a família de voluntários bem como para quem queira dar o seu contributo para os vários projetos desenvolvidos a favor de quem mais precisa, entre outras ofertas.

Claro está, a história do Movimento da Cruz Vermelha e da CVCV, assim como do fundador do Movimento, Henry Dunant, poderão ser encontrados aqui na nossa página.

 

«Rumo a 2020. Fazer Mais, Ir Mais Longe» é o nosso lema e a nossa missão. Desfrute e viaje connosco neste novo ciclo que se abre à CVCV. 

Celebra-se Domingo, 8 de Maio, o Dia Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho reconhecendo o contributo dos jovens sob o tema global Juventude em Acção.

A proposta é analisar o papel fundamental que os jovens tem tido para alcançar os mais vulneráveis e na construção de comunidades saudáveis.

Em todo o mundo, colaboram com a Cruz Vermelha e com o Crescente Vermelho 13 milhões de voluntários, sendo que metade desse número é jovem. Jovens que têm apoiado na preparação das comunidades para as catástrofes e emergências, bem como no desenvolvimento de uma cultura de não violência e de paz.

É nesse sentido que as instituições, em todo o mundo, continuam a capacitar a camada juvenil para que possam fazer mais, melhor e desempenharem papéis de liderança.

Introduza as suas credenciais