Últimas Notícias


Servindo Voluntariamente Cabo Verde e a Humanidade

Celebra-se hoje o dia Mundial da Cruz Vermelha, também conhecido como Dia Mundial da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho. Um gentil aceno a todos os voluntários que dão a sua contribuição, de maneira incomparável, às pessoas em necessidade ou sofrimento.

Aliás, o dia também é o aniversário de Henry Dunant, que fundou o Comitê  Internacional da Cruz Vermelha em 1863 na Suíça, em Genebra. Ele nasceu em 8 de maio de 1828 e também recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

Enquanto os temas para o Dia Mundial da Cruz Vermelha 2018 e 2017 foram “Sorrisos memoráveis ​​de todo o mundo” e “Histórias menos conhecidas da Cruz Vermelha” respectivamente, o tema escolhido para este ano é AMOR, com o objectivo de ampliar a compreensão do público sobre as sociedades nacionais, destacando a diversidade e a universalidade do seu trabalho que é realizado em prol da humanidade.

O dia é comemorado anualmente para reduzir o sofrimento das pessoas no mundo e capacitá-las a levar uma vida digna. Segundo o Presidente da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, Francesco Rocca, o mundo está a enfrentar desafios humanitários sem precedentes e, por isso, os atores locais são cruciais para salvar vidas, preparar comunidades, trabalhar mais rápido e melhor em todas as crises no mundo.

Neste dia, Francesco Rocca apela o otimismo de todos os funcionários, colaboradores e voluntários da família Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, de forma a continuarem firmes no serviço da humanidade!

Depois de um mês do ciclone Idai ter atingido Moçambique, o governo e outras organizações parceiras iniciaram a realocação de famílias deslocadas para áreas mais próximas de suas casas.

No último final de semana, 200 famílias deixaram os abrigos na cidade central da Beira. Nos próximos dez dias, cerca de 70 mil pessoas devem sair de centros de residência montados em meio à catástrofe do mês passado.

Segundo o relatório enviado pelo chefe da delegação cabo-verdiana em Moçambique, Major Médico Cardiologista, Fernando Tavares, a equipa tem desenvolvido actividades nas áreas de cardiologia, clinica geral, promoção de saúde, urgência de adulto e crianças com quadro sintomatológico associado ao ciclone IDAI, ginecolologia e obstetricia, cirurgia Geral, enfermagem e psicologia.

Em números, até a presente data, foram realizadas 247 consultas médicas, 221 procedimentos de enfermagem e 47 atendimentos psicológicos.

Neste momento, a equipa cabo-verdiana atua no hospital de campanha da Cruz Vermelha Portuguesa, com vista a uma melhor optimização no cumprimento terapêutico e reposição de stock na farmácia do Centro de Saúde Urbano do Macurungo.

Segundo Major Médico Cardiologista, Fernando Tavares, a delegação cabo-verdiana foi recebida pela Cruz Vermelha Portuguesa, através de sua chefe de Delegação, Lara Martins, tendo sido estabelecido contactos com as autoridades locais nomeadamente representantes da Cruz Vermelha de Moçambique (Beira), Proteção Civil, Organizações Internacionais, Direcção Nacional de Cooperação MISAU e Direcção Provincial da Saúde.

Consequentemente, a delegação de Cabo Verde foi integrada numa equipa constituida por técnicos da Cruz Vermelha Portuguesa, médicos internacionais e técnicos voluntários daquela localidade.

Foram entregues também, de forma oficial, os donativos de Cabo Verde, nomeadamente medicamentos, ao Chefe Central dos Donativos e Medicamentos da Beira. 

 

A Cruz Vermelha de Cabo Verde assinou ontem, 17 de Abril, um protocolo de parceria com a Clínica Mais Saúde,no quadro de motivação com os colaboradores, funcionários e voluntários da Cruz Vermelha para o acesso a cuidados médicos de um conjunto de especialidades.
 
Inicialmente esta parceria irá contemplar somente a Clínica Mais Saúde, situada no Palmarejo, na Cidade da Praia, mas a perspectiva da Cruz Vermelha é poder contar com o acesso à saúde, com redução de custos, nas outras regiões onde estão localizados os os funcionários, colaboradores e voluntários.
Segundo o Presidente da Cruz Vermelha de Cabo Verde, este é mais um passo para modernização e criação de condições para um melhor dos colaboradores, funcionários e voluntários da instituição.
"Esta iniciativa resulta do nosso Programa de Governação,  de modo a motivar todos aqueles que dão o seu contributo à Cruz Vermelha de Cabo Verde em defesa da causa humanitária".

 

 

A Cruz Vermelha de Cabo Verde, juntamente com o Governo de Cabo Verde, Forças Armadas e a Direção Nacional de Saúde, realizou hoje um encontro com a equipa indigitada para missão de ajuda a Moçambique.

A equipa médica médica viajará esta noite para Moçambique e irá permanecer naquele país até o dia 3 de maio.

Segundo o Presidente da Cruz Vermelha, Arlindo Carvalho, este é um momento de solidariedade com o país irmão e recordou que a Cruz Vermelha de Cabo Verde esteve num encontro com o Secretário-Geral da Federação Internacional da Cruz Vermelha, Sr. El Hadji As Sy, no mês passado, de forma a mobilizar todos os recursos necessários para ajudar Moçambique.

Arlindo Carvalho garantiu ainda que todo o trabalho de terreno da equipa de Cabo Verde será desempenhado juntamentamente com a equipa de Federação Internacional da Cruz Vermelha.

A Cruz Vermelha de Cabo Verde aproveitou o momento para oferecer um Kit de mochilas, braçadeiras, coletes e cartões de identificação, internacionalmente aceito, a cada membro da equipa.

De acordo com a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV), centenas de milhares de pessoas precisarão de um apoio sustentado, durante os próximos meses, para que a recuperação seja generalizada.

 

Introduza as suas credenciais