Últimas Notícias


Servindo Voluntariamente Cabo Verde e a Humanidade

 

 

Para além de outras ações, cuidar dos mais vulneráveis e apoiar famílias desprotegidas, oferecendo refeições quentes aconchegando-as e dar-lhes alento para ultrapassarem as vicissitudes desta crise, tem sido o apanágio do Conselho Local da Cruz Vermelha no Sal, que até agora, ajudou mais de 400 pessoas carenciadas.

 

A Cruz Vermelha, sendo uma instituição humanitária voluntaria e aberta a acolher todos aqueles que queiram fazer parte da sua família e disponíveis em fazer a diferença através de ações díspares, procurando dar respostas rápidas, eficazes e eficientes para debelar os impactos desta pandemia.

 

A atuação dos valentes voluntários deste Conselho Local, no combate ao novo Coronavírus, tem sido de uma bravura incomensurável. Quer na assistência aos passageiros no Aeroporto internacional Amílcar Cabral auxiliando as equipas de enfermeiros da Delegacia de Saúde na aferição de temperaturas, no controlo de cartão de vacinas em consonância com os serviços de Fronteiras e Imigração, como nas ações de sensibilização em escolas e comunidades, prestando assistência aos idosos e doentes crónicos, limpando e dando assistência aos seus domicílios, distribuindo produtos de higiene, entre outros. 

Com a disseminação do novo Coronavírus, nas ilhas de Boavista e Santiago o Conselho Local da Cruz Vermelha da ilha mais turística do país teve que adequar a sua estratégia de forma a precaver pela possível chegada de casos de contágio pela SARS Cov2, na ilha. E esse reajustamento, com base no Plano de Contingência da Cruz Vermelha de Cabo Verde não se limitou às campanhas de sensibilização e angariação de itens essenciais, mas também, no que concerne ao trabalho de distribuição de cestas básicas. Em aproximadamente dois meses, distribuiu-se 158 cestas de alimentos, águas e kits de higiene. “O ponto alto dessas entregas foi a 8 de maio, altura que comemoramos, ainda que em condições especiais, o dia internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelha, com beneficiação de 102 famílias vulneráveis, 43 das quais doadas pelo programa “Driblando a Pandemia Covid-19”, levadas a cabo pelos jogadores dos Tubarões Azuis e os demais 59 oferecidas por pessoas amigas, dentro e fora de Cabo Verde que optaram pelo anonimato” asseverou Ivanilda Rodrigues, responsável pela Cruz Vermelha na ilha do Sal.

 

 O trabalho da Cruz Vermelha no Sal tem-se regulado fundamentalmente pela consecução dos seus projetos, reverenciando sempre as suas atuações nos princípios emanados pelo movimento internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.

 

É de realçar que através projetos social, já foram repartidas, mais de 1.400 refeições quentes, graças ao perfil e princípios desta instituição filantrópica que dão garantias aos seus parceiros, organizações e toda a sociedade civil como uma instituição séria, imparcial e transparente. “Devo aqui destacar a Escola de Hotelaria e Turismo de Cabo Verde e a Cooperativa CODE pela parceria incomensurável que nos tem assegurado, pela abnegação e empenho demonstrado pelos Chefes, cozinheiros e por fim uma palavra de conforto e apreço aos nossos voluntariosos que não medem tempo e esforço para garantirem o bom desempenho do nosso Conselho Local” destacou a Sra. Ivanilda Rodrigues. 

 

“A todos que fazem este projeto crescer diariamente, com os seus donativos faltam-nos palavras para os agradecer por toda atenção e cuidados dispensados a essas famílias em situação de vulnerabilidade. Graças aos vossos apoios poderemos ainda auxiliar mais famílias, idosos, doentes crónicos e crianças carenciadas” assegurou. 

Foi neste ambiente conturbado ao nível planetário em decorrência da pandemia COVID-19, que os valorosos voluntários da Cruz Vermelha de Cabo Verde, de Santo Antão à Brava, celebraram o dia 8 de maio em celebração ao Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, transportando o bem-estar e a solidariedade humana aos lares das famílias mais desfavorecidas. 

A Cruz Vermelha de Cabo Verde comemorou no passado dia 8 de Maio, dia mundialmente consagrado ao Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, consignado a todos aqueles que ajudam o próximo com gestos solidários e ações humanitárias para o alívio do sofrimento das pessoas, da defesa de boas causas e da dignidade humana.

Foi com esses pressupostos e num ambiente conturbado que os valorosos voluntários da Cruz Vermelha de Cabo Verde, de Santo Antão à Brava, celebraram este emblemático dia, levando conforto e solidariedade humana aos mais necessitados que se encontram confinados nos seus lares motivado pela COVID-19. 

Em reconhecimento à bravura, valentia e inestimável trabalho dos voluntários, colaboradores e profissionais da cruz vermelha, liderada pelo seu Presidente, Dr. Arlindo Carvalho, esta instituição humanitária vem recebendo inúmeras mensagens de apreço, 
conforto e encorajamento tanto dos governantes, como parceiros e amigos enaltecendo o trabalho realizado por esta equipa, desde a eleição, com destaque pelo reconhecido desempenho no combate à COVID-19.

Nesta conjuntura aflitiva que a vida das pessoas estão assustadas, os voluntários e os profissionais da Cruz Vermelha de Cabo Verde tem demonstrado a sua união, determinação e firmeza, posicionando-se na linha da frente em auxílio daqueles que mais precisam, disponibilizando as suas infraestruturas, equipamentos, recursos materiais e humanos, colocando a sua rede de voluntários e outros profissionais dos diferentes conselhos locais espalhados pelo país em apoio às estruturas governativas, organizações sociais, entre outros na recolha de alimentos e produtos de higienização para distribuição aos vulneráveis, entre outros, na tentativa de melhor servir e ajudar a debelar a disseminação do novo Coronavírus.

De várias mensagens de gratidão recebidas, destaca-se a do empresário Augusto Vasconcelos Lopes, membro honorário da Cruz Vermelha de Cabo Verde, que enaltece esta nobre e sagrada Instituição filantrópica, em que os seus serviços têm demonstrado um peso inestimável na situação que o Mundo inteiro tem sido confrontado, e que, em Cabo Verde, a sua voz e os seus feitos, têm sido de enorme valia e dedicação. Continuando disse que não podia deixar de endereçar, ao Sr. Presidente, estas palavras amigas e sinceras, desejando à CVCV a eternização da sua Missão, e o aumento, a cada dia mais, da força e vontade de Bem-Servir a Humanidade.

 

 “O momento difícil que o Mundo atravessa, essa força humanitária nos é preciosa! O seu contributo, tal como tem, tantas vezes, tido impacto no Mundo, nesta hora difícil para todos, se agiganta, e todos os seus participantes merecem honrosas homenagens” enalteceu este conceituado gestor mindelense.

 

No término desta sua mensagem de reconhecimento, Vasconcelos Lopes exalta que a Cruz Vermelha de Cabo Verde, sob o comando do Dr. Arlindo Carvalho, com o seu contributo e dos abnegados voluntários, colaboradores e profissionais vencerão mais esta batalha!

 

Um outro membro honorário que também usou do momento para gratular e aplaudir os voluntários, profissionais, colaboradores e todos aqueles que têm defendido as boas causas e que estão no terreno a pelejar contra este inimigo invisível foi o Sr. Calvelas Vicente, a partir de Portugal.

Em respostas a estas e outras mensagens de reconhecimento e conforto remetidas à Cruz Vermelha de Cabo Verde, o Dr. Arlindo Carvalho, enquanto timoneiro mor desta instituição agradeceu a todos e disse sentir enternecido e honrado e que elas “nos fortalece e reforça a nossa determinação em tudo fazer para o alívio do sofrimento humano e em defesa das boas causas”.

Para depois observar que “juntos somos poucos para a causa pela qual batalhamos no dia-a-dia, mas que juntos somos, também, mais forte, mais resilientes e que a vitória é certa”.

Os voluntários do Conselho Local da Cruz Vermelha de Cabo Verde no concelho de Tarrafal de S. Nicolau continuam empenhados e não medem esforços em garantir alguma comodidade aqueles que mais necessitam. As suas disponibilidades e vontade de ajudar continuam intactas, como se fosse no primeiro dia.

O Conselho Local da Cruz Vermelha de Tarrafal de S. Nicolau, não obstante o levantamento do estado de emergência e de não se ter confirmado nenhum caso positivo na ilha, até ao momento, os voluntários desta instituição humanitária continuam a palmilhar diariamente, as localidades mais recônditos do concelho para auxiliar aqueles que mais necessitam, quer na distribuição de alimentos como na sensibilização no combate à pandemia provocada pelo novo Coronavírus.

Ontem, terça-feira, 5 de março, no âmbito da campanha “Higienização no Combate ao COVID19” distribuíram kits de artigos de higiene e limpeza, no qual foram beneficiadas cerca de 100 famílias residentes nas diferentes localidades da edilidade como Cabeçalinho, Fragata, Hortelã, Palhal, Tarrafal, Praia Branca e Ribeira Prata.

Foram ainda entregues aproximadamente 45 cestas básicas, às famílias vulneráveis da cidade do Tarrafal, de acordo com o programa levadas a cabo pelos jogadores da Seleção Nacional de Futebol de Cabo Verde denominado “Driblando Covid19”.

images/DRIBLANDO.jpg

Os Futebolistas da Seleção Nacional Jogam Fora de Campo Ajudando os Mais Carenciados

Os jogadores da seleção nacional de futebol mostram-se solidários com a difícil situação que vive uma grande franja dos cabo-verdianos, em virtude da pandemia do novo coronavírus. Juntaram-se numa campanha de solidariedade “Driblando a Pandemia COVID-19” angariando fundos para ajudar a Cruz Vermelha de Cabo Verde a diminuir o sofrimento daqueles que mais precisam.

A meio percurso da Campanha “Driblando a Pandemia COVID-19” levados a cabo pelos jogadores da Seleção Nacional de Futebol, os seus representantes no país, Sr. Alveno Soares entregaram à Cruz Vermelha de Cabo Verde o montante de 2.065.000$00 (dois milhões e sessenta e cinco mil escudos cabo-verdianos), para ajudar, via Conselhos Locais, os mais necessitados na mitigação das enormes carências vivenciadas no âmbito do novo coronavírus.

É de salientar que o valor monetário destinado a cada Conselho Local varia de 80.000$00 a 330.000$00 e já está a ser depositado na conta bancária de um fornecedor indicado pelos promotores que os disponibilizará em géneros de primeira necessidade à Cruz Vermelha local mediante apresentação do talão de depósito bancário, que os constituirá em cestas básicas e distribuir aos beneficiários.

Recorde-se que o montante arrecadado pelo combinado nacional, nesta fase, foi mobilizado em aproximadamente uma semana e o procedimento definido para a sua distribuição foi estabelecido, seguindo o acordado com os impulsionadores em função da demografia dos conselhos e do grau de pobreza prevalecente.

Contudo, para complementar as ações de distribuição aos 19 dos 22 Concelhos Municipais, o Dr. Eduardo Ramos, Ponto Focal da Segurança Alimentar e Nutricional na Cruz Vermelha de Cabo Verde e representante desta instituição humanitária nesta campanha solicita um acréscimo às verbas ofertadas para ajustar em despesas de distribuição como bolsas, refeições dos voluntários e transportes.

Segundo Alveno Soares, este projeto é muito maior e mais abrangente que o simples apoiar a população carenciada neste momento penoso porque passa Cabo Verde e o mundo. “Os jogadores escolheram Cruz Vermelha como parceira deste gesto, por a considerarem uma instituição credível, com especificidade e melhor preparada para levar avante e com êxito este projeto” concluiu.

Em alguns dos Conselhos Locais onde o valor disponibilizado já estão na conta dos fornecedores, iniciaram o levantamento dos produtos e confeção das cestas básicas, que segundo consta foram distribuídas no decorrer do último fim-de-semana. Para os responsáveis locais desta instituição humanitária, trata-se de uma iniciativa louvável, na medida em que permite diminuir as dificuldades de várias famílias que passam por privações diversas e que carecem de uma «mão amiga» para levarem a panela ao lume.

“É óbvio que a demanda é bem maior que a oferta, pelo que vamos tudo fazer para ter mais e fazer melhor. Continuamos engajados na busca de mais meios para mitigar às necessidades de muitas famílias” ressalvou Eduardo Ramos.

Introduza as suas credenciais